Páginas

16 de abr de 2012

Pais descobrem que bebê estava viva dentro do caixão após ouvir ela chorando

Pais descobrem que bebê estava viva dentro do caixão após ouvir ela chorando | Notícia Midia GospelEla foi dada como morta e, 12 horas depois, seus pais a encontraram movendo-se no caixão do necrotério onde haviam ido para dar o último adeus à criança.
Este é o incrível caso da pequena Luz Milagros, bebê prematuro que foi dado como morto em um hospital na província do Chaco, no norte da Argentina, após médicos não verificarem sinais vitais na menina.
Mas agora o bebê, nascido após seis meses de gestação, está em terapia intensiva, ainda sem previsão de alta.
A representação do Ministério da Saúde do Chaco suspendeu cinco médicos da unidade hospitalar enquanto investiga o caso.
Os pais da menina receberam uma certidão de óbito uma hora antes de irem se despedir da menina no necrotério.
"Obviamente houve um erro médico protocolar (...) foi um fato lamentável, que por sorte está sendo controlado, e toda a assistência médica está sendo dada à pequena Luz Milagros", disse à imprensa local o ministro da Saúde Pública do Chaco, Francisco Baquero.

Especialistas que examinaram o caso afirmaram que é muito provável que, por ter permanecido em baixas temperaturas no caixão, o bebê (de apenas 28 semanas) pode ter conseguido manter seus órgãos vitais em funcionamento.

'Não insólito'

"É uma situação lamentável, mas não insólita", sublinhou ao jornal Clarín o neurologista Claudio Solana. "Os bebês prematuros às vezes nascem sem frequência cardíaca nem respiratória. Sem sinais de vida. O comum é deixá-los em observação por pelo menos duas horas. Às vezes eles se reanimam e recuperam os sinais vitais", explicou Solana.

O bebê, que nasceu no Hospital Perrando, em Resistência, se chamaria Luciana Abigail, mas seus pais mudaram o nome para Luz Milagros, por acreditarem que foi um milagre a volta da menina à vida.

De acordo com a versão dos pais da criança, a notícia precipitada da morte da menina foi dada poucos instantes depois do parto.

"Houve muitas coisas que me chamaram a atenção, primeiro que não me deixaram ver o corpo de minha filha, e levarem-na para o necrotério, onde colocaram no caixão e fecharam", contou o pai, Fabián Verón.

"Minha filha esteve 12 horas no necrotério e até o momento, no lugar de uma certidão de nascimento, só temos uma certidão de óbito", disse a mãe, Analía Bouter.

Ele ainda lembra do instante em que voltou a esperança no que parecia um caso perdido, quando abriram o caixão.

"De repente, escutei um gemido, um choro fraco, ela estava coberta por uma fina camada de gelo", contou a mãe. "A alegria de saber que estava viva apagou todo o resto".

A pequena Luz Milagros, segundo o último boletim médico, de quarta-feira, permanecia estável, mas em estado "crítico". Ela pesa apenas 750 gramas.

"Ela está conectada a um respirador, para que não se esforce, e se recupera", afirmou a mãe.

O casal tem dois filhos.

Fonte: noticias.uol.com.br | Divulgação: Midia Gospel

Continue lendo >>

Milhares testemunham o milagre do `Fogo Sagrado` em Jerusalém

fogo sagrado

Milhares de cristãos de todo o mundo reuniram-se na Igreja de Jerusalém do Santo Sepulcro, sábado para testemunhar uma chama que se acredita surgir milagrosamente do túmulo de Jesus na Páscoa dia antes, de acordo com o calendário juliano mais velho, a cada ano.

A cerimônia especial na Igreja do Santo Sepulcro, construída no local onde Jesus foi crucificado e enterrado, teve a participação de peregrinos cristãos e clérigos vestindo suas roupas em meio a presença da polícia israelense, motim de forças de prevenção e guardas de segurança da fronteira.
"Eu estou aqui porque eu gostaria de ver a Semana Santa a partir da Terra Santa, porque eu acho que é uma experiência única," citou a Associated Press ao Craditotto Nerea, um peregrino espanhol. Igrejas Ortodoxas Orientais vão celebrar a Páscoa e outros, no domingo.
Os cristãos e o clero em pé perto da área do túmulo acenderam velas primeiro e depois passaram as chamas para outros em filas em becos fora da igreja antiga. O Fogo Sagrado é reverenciado pelo poder de muitos como a Ressurreição de Jesus e o fogo da Sarça Ardente do Monte Sinai, como mencionado no Antigo Testamento.
Os cristãos ortodoxos dizem que o Milagre do Fogo Sagrado ocorre todos os anos no dia antes da Páscoa. O milagre tem sido documentado a cada ano para mais de 1.000 anos. Em muitos países cristãos, incluindo a Geórgia, Grécia, Ucrânia, Rússia, Roménia, Bielorrússia, Bulgária, Chipre, Líbano e Egito, assistem a cerimônia ao vivo na TV a cada ano. Após a cerimônia, o Fogo Sagrado é levado a alguns desses países.
A cerimônia de Fogo Sagrado ao meio-dia tipicamente começa com uma procissão cantando hinos, envolvendo o clero que toma três voltas na igreja. O Patriarca Ortodoxo de Jerusalém ou outro Arcebispo Ortodoxo então oferece uma oração, tira o roupão e entra no sepulcro sozinho. Depois de ser examinado por autoridades israelenses para provar que ele não tem nada para acender o fogo.
Esperando o Fogo Sagrado, a congregação canta o Kyrie Eleison, ou "Senhor, tem piedade." Quando o patriarca sai do túmulo, oferece orações e distribui as chamas para a congregação.
Alguns peregrinos alegaram que as chamas que receberam do Fogo Sagrado não queimam seus cabelos, rostos ou roupas durante os primeiros 33 minutos de sua aparição.
No domingo, o patriarca latino da Igreja Católica Romana em Jerusalém conduzirá a missa de Páscoa no Santo Sepulcro. Protestantes vão assistir a um culto da manhã no Jardim da Tumba fora da Antiga Cidade murada de Jerusalém.
Fonte: The Christian Post | Divulgação: Midia Gospel

Continue lendo >>

Médicos e pastores se manifestam contra o aborto de bebês anencéfalos

Começa hoje julgamento sobre aborto de fetos anencéfalos

Especialistas em medicina e líderes religiosos manifestaram opinião contrária ao aborto de fetos com anecefalia, um tipo de malformação no tubo neural. Para eles, a baixa expectativa de vida nesses indivíduos não deve limitar o direito à vida dessa crianças.

Para os médicos, o sofrimento dos pais não justifica a interrupção da gestação. Para a coordenadora da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal do Hospital São Francisco, Cinthia Macedo Specian, o feto anencéfalo não deve ser considerado um natimorto cerebral.
Em entrevista ao Terra, Specian afirmou que “o feto tem um comprometimento severo de um órgão muito importante, mas não posso classificá-lo como um indivíduo que está em morte encefálica”.
Segundo a especialista, estudos mostram que todos os bebês com anencefalia possuem respiração espontânea, e mais de 50% conseguem mamar, sugar e deglutir o leite. “Já os pacientes com morte encefálica não deglutem nem a saliva e não têm movimento ocular”, explicou Cinthia.
Também o médico especialista em ginecologia e obstetrícia Dernival da Silva Brandão, membro da Comissão de Ética e Cidadania da Academia Fluminense de Medicina, disse não compreender como um profissional de saúde pode defender a interrupção e uma gestação apenas com base na má formação do feto.
“Casos de crianças anencéfalas que sobreviveram após o parto são relevantes, mas o mais importante é que aquela criança está doente e precisa de tratamento. Ela não perde o direito à vida porque está doente”, disse.
Ele ainda ressaltou que ao contrário do que dizem outros especialistas, os riscos para a mãe na gestação de bebês anencéfalos não é tão alto. Para ele, uma gravidez de gêmeos pode ser bem mais perigosa.
O especialista explicou que problema do acúmulo de líquido amniótico, que é comum em casos em que a malformação é diagnosticada, pode ser tratado com a técnica de punção.
Somando-se à opinião dos médicos e especialistas em obstetrícia, líderes religiosos têm ido a público manifestar sua opinião contrária ao aborto de anencéfalos e a favor da vida.
O pastor da Igreja Vitória em Cristo, Silas Malafaia, publicou um comentário em seu site Verdade Gospel, em que compara o aborto ao conceito de depuração das raças, idéia pregada por Adolf Hitler durante o nazismo.
“Se na época do nazismo, Hitler queria fazer depuração da raça, esta é a moderna depuração dos nossos tempos. Aborto de anencéfalos, daqui a pouco aborto para quem tem Síndrome de Down, depois qualquer bebê na barriga da mãe que tenha qualquer deficiência. A vida é um dom de Deus, está na sua autoridade dá-la e tomá-la”, afirmou, categórico.
Ele incentivou que os fieis se empenhassem na questão para “livrar o Brasil dessa praga do inferno que é o aborto”.
Também o pastor deputado federal Marco Feliciano (PSC/SP), postou em seu Twitter uma nota pedindo que seus seguidores enviassem emails ao Supremo Tribunal Federal (STF) pressionando para que os ministros votassem contra.
“[Os ministros] votarão se os fetos com anencefalia devem ou não ter o direito de nascer. Escreva para os juízes pedindo que votem NÃO ao assassinato dos bebês!”, publicou.
Julgamento
O STF iniciou hoje o julgamento da questão da possibilidade da antecipação terapêutica de parto nos casos em que os fetos apresentem anencefalia. A questão está sendo analisada há oito anos pelo órgão.
Após mais de uma hora de leitura, por volta das 12h50, o relator ministro Marco Aurélio Mello apresentou seu voto favorável à interrupção da gravidez de fetos anencéfalos.
Em seguida houve interrupção dos trabalhos, que serão retomados na tarde desta quarta-feira (11). O tema gera grande repercussão e controvérsia a respeito da defesa da vida, e por outro lado, dos que defendem os direitos femininos em todo o país.
Fonte: The Christian Post 

Continue lendo >>

10 de abr de 2012

Silas Malafaia diz que está sendo vítima de perseguição gay

O processo movido por militantes gays contra o pastor Silas Malafaia vem causando polêmica. Ele é acusado de incentivar a violência contra homossexuais por pedir para a Igreja Católica “entrar de pau” e “baixar o porrete” nos organizadores da Parada Gay que usaram imagens de santos católicos em posições homoeróticas durante o evento. No último programa Vitória em Cristo Silas Malafaia tratou exclusivamente sobre o assunto.

O pastor Silas Malafaia se defende dizendo que está sendo vítima de intolerância religiosa por parte dos gays, uma vez que ele pedia para que os católicos entrassem na justiça contra esses organizadores que desrespeitaram a crença de milhões de brasileiros.

Citando outros processos que já foram abertos contra ele, Silas Malafaiadiz que os militantes estão exagerando ao afirmar que toda opinião contrária ao homossexualismo é homofobia.

Por ser psicólogo por formação, Silas Malafaia já enfrentou um processo para perder o registro de profissional a pedido de ativistas homossexuais. No primeiro processo o Conselho de Psicologia arquivou ou processo, mas a pedido do mesmo grupo o processo foi reaberto e está em análise.
Veja o vídeo neste endereço.
http://www.youtube.com/watch?v=-hIqTue3yOw&feature=player_embedded
Renascer Prime|Pátio Gospel Noticias

Continue lendo >>

2 de abr de 2012

Evangélicos fundam Torcidas Organizadas Gospel

Evangélicos fundam Torcidas Organizadas Gospel para apoiar clubes e promover paz nos estádios | Notícia Midia Gospel
Uma paixão do brasileiro, o futebol não é só o esporte preferido da maioria, mas também faz parte da cultura popular no país, e atrai milhares de pessoas em jogos de times profissionais, além também de outros milhões que assistem pela televisão às partidas do time do coração.

O crescimento da população evangélica no Brasil também provoca efeitos no esporte, e faz surgir organizações até pouco tempo atrás impensadas para os padrões evangélicos brasileiros. O envolvimento da fé com o esporte, no caso dos evangélicos, começou com os jogadores que se converteram ao cristianismo ou que cresceram em lares evangélicos e se tornaram profissionais.

Agora, o surgimento de torcidas organizadas gospel traz uma nova área de atuação dos evangélicos na sociedade. A torcida gospel do Coritiba F.C., pelo que se tem registro, foi a primeira a ser fundada. Intitulada “Torcida Evangélica do Coritiba”, reúne torcedores que levam faixas aos estádios com dizeres que fazem referência à fé e à paz nos estádios.

A ideia espalhou-se fazendo surgir iniciativas semelhantes, como as torcidas evangélicas de grandes clubes como Flamengo, Vasco, Fluminense, São Paulo, Sport, entre outros, como o Botafogo, que possui uma torcida organizada com site e pastor-fundador. E além de se reunir nos estádios, também promove cultos, em que os torcedores vão vestidos com suas camisas do clube do coração. “A Fogospel é uma torcida que nasceu para apoiar o Botafogo e promover a paz nos estádios e nos corações alvinegros”, descreve o site.

A GospelFla também reúne torcedores evangélicos fãs do Flamengo, considerado o clube de maior torcida do país. No Facebook, a fanpage da organizada afirma que os integrantes estão “unidos pelo mais querido do Brasil e pelo desejado de todas as nações”, fazendo alusão a Jesus Cristo.

Outras torcidas evangélicas ligadas a clubes não demonstram tamanha organização em termos de mídia, porém continuam reunindo seus integrantes com o intuito de vincular a fé e os princípios cristãos com a tarefa de combate à violência nos estádios, além de torcer por seus times.

A inegável paixão do povo brasileiro pelo futebol parece não ter sido atingida pelas doutrinas da maioria das igrejas. Tempos atrás, as doutrinas de igrejas pentecostais mais tradicionais não permitiam que um fiel se mantivesse torcedor de um clube de futebol, e argumentavam usando a mensagem bíblica contrária à idolatria.

Atualmente, as igrejas se tornaram mais liberais em relação ao assunto, desvinculando o esporte da fé, e inclusive, diversos líderes assumem serem fãs de futebol e revelam suas preferências.

Porém, ainda há uma questão capaz de levantar polêmicas sobre o assunto, pois há quem entenda que embora os dois temas não comprometam um ao outro, eles também não devem ser misturados.

O crescimento de torcidas organizadas gospel pode trazer à tona um novo debate entre os evangélicos, e também a busca por respostas sobre os limites da atuação dos fiéis em circunstâncias como essas, além da discussão sobre a adoração a Deus e a devoção ao clube do coração.

Fonte: Gospel + | Divulgação: Midia Gospel

Continue lendo >>

Família vai processar Estado por discriminação religiosa

Família vai processar Estado por discriminação religiosa | Notícia Midia GospelOs pais do menino de 15 anos vítima de bullying na Escola Estadual Antônio Caputo, no Riacho Grande, em São Bernardo, anunciaram ontem que vão processar o Estado por discriminação religiosa.
O garoto, adepto do candomblé, sofre retaliações dos colegas de classe por se recusar a orar. A prática é incentivada pela professora de História Roseli Tadeu Tavares Santana. Evangélica, ela utiliza os 20 minutos iniciais de aula para pregar ensinamentos da Bíblia.Integrante da comissão de liberdade religiosa da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Jáder Freire de Macedo Júnior assumiu a defesa da família. "Nossa prioridade é ajudar esse menino. Caça às bruxas não é o caso agora, é necessário apurar quem são os responsáveis. Mas temos de diferenciar educação religiosa de catequismo."

A Diretoria Regional de Ensino da cidade e a Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo) argumentam que a professora segue o currículo escolar para falar de temas ligados à religião. A Secretaria Estadual da Educação começou a apuração preliminar de 30 dias para apontar sua decisão.

Ontem, a Vara da Infância e da Juventude do MP também abriu investigação. Trabalharão em duas frentes. Uma, com o promotor Jairo de Lucca, acompanhará os trabalhos da secretaria para decidir se abrirá ou não inquérito contra Roseli. O foco prioritário, no entanto, é a saúde do menino. A promotora Vera Lúcia Acayaba de Toledo liderará campanha com vários órgãos públicos, entre eles Conselho Tutelar, Sedesc (Secretaria de Desenvolvimento Social e Cidadania), Secretaria Municipal da Saúde e a própria Secretaria Estadual da Educação para combater o bullying religioso na escola.

A professora Roseli compareceu à reunião realizada ontem no Fórum de São Bernardo, mas ficou em sala separada. Segundo o pai do aluno, Sebastião da Silveira, 64 anos, uma pessoa ligou oferecendo vaga em outra instituição, mas a sugestão foi rejeitada. "Meu filho vai continuar na escola. Ele vai ter de aprender a lidar com a diferença e não criar uma dependência minha", disse.

O jovem tem ido às aulas e, nesta semana, segundo o pai, sofreu novos ataques pessoais. Em avaliação, o psicólogo disse que o menino teme viver em "pecado" e "ter de pedir perdão a Deus". Aproveitando o feriado da próxima semana, Silveira vai viajar com a família para esfriar os ânimos.

"Pelo menos o caso está sendo tratado. Se de forma correta, o tempo vai dizer. Por enquanto, vejo intenção grande de todos os órgãos em se fazer de tudo para apurar o que aconteceu e ajudar esse e outros jovens", disse o advogado.

Fonte: Diario do ABC | Divulgação: Midia Gospel

Continue lendo >>