Páginas

6 de fev de 2012

Travesti constrange menina de 10 anos em banheiro feminino de pizzaria


Travesti há dois anos, o cartunista paulistano Laerte, de 60 anos, passou por uma saia justa ao utilizar obanheiro feminino de uma pizzaria na zona oeste de São Paulo. Uma cliente, com a filha de dez anos, que estava no local fez queixa ao dono da pizzaria, que pediu ao desenhista para usar o banheiro masculino. Indignado, Laerte deixou o lugar.


Dizendo-se indignado com a situação, o cartunista procurou a Secretaria de Estado da Justiça de São Paulo a fim de acionar a pizzaria. Segundo ele o fato de ter sido convidado a trocar de banheiro poderia ser lido como discriminação por orientação sexual, segundo o texto da lei estadual 10.948.

O objetivo de Laerte é garantir o direito de entrar no banheiro feminino dapizzaria por travestis como ele. "Minha meta é conseguir o entendimento sobre o direito que foi ferido e o compromisso de uma atitude positiva em relação a ele, nada de processos, indenizações ou de portas lacradas", afirma.

O cartunista, que se veste de mulher, adota por vezes o gênero feminino. No Twitter, por exemplo: comentou o episódio da pizzaria fazendo uso do gênero feminino. "Na pizzaria Real, no Sumaré, sou instada a não usar mais o banheiro feminino, a pedidos de uma freguesa. Não volto mais lá."

Mediante ação da Secretaria da Justiça, a pizzaria pode receber uma advertência ou uma penalidade, que varia de uma multa à cassação da licença para operar. Procurado, o sócio da pizzaria, Renato Cunha, se mostrou confuso com a repercussão do caso. "Eu me senti na obrigação de conversar com o Laerte, porque a cliente pediu muito, mas, no meu ponto de vista, ele não fez nada de errado ao usar o banheiro feminino. Ele me explicou que era cross-dresser, travesti, não sei, eu não entendo muito dessas coisas."

Veja|Pátio Gospel Noticias

Nenhum comentário:

Postar um comentário