Páginas

24 de nov de 2011

Pastor Nadarkhani sofre maus tratos na prisão

Foto/Imagem Pastor Nadarkhani sofre maus tratos na prisão Noticia ReligiãoO pastor iraniano Yousef Nadarkhani continua preso aguardando o julgamento final de sua sentença e fontes seguras relataram que ele está sofrendo maus tratos, torturas físicas e psicológicas dentro da prisão.

Os membros de sua igreja informaram que a saúde do pastor estaria se deteriorando. Mesmo tendo poucas informações sobre a situação em que Yousef se encontra, sabe-se que ele continua sendo torturado pelas autoridades do Irã que tentam forçar a volta dele para a religião islâmica.

Nadarkhani está preso desde 2009 com a acusação de ‘apostasia’. Depois de ser sentenciado à morte, o tribunal de Rasht encaminhou o caso para o aiatolá Aki Khamenei que ainda não se manifestou. No mês passado, ele teria recebido de líderes do governo livros que o incentivariam a desacreditar na Bíblia e voltar a ser muçulmano.

A sentença deverá sair na segunda quinzena de dezembro. A intenção do Irã é que a notícia não tenha tanta repercussão como aconteceu nos últimos meses. Por isso, o governo pretende pronunciar a decisão na época de Natal. Fontes relataram que quando há lentidão do tribunal em se pronunciar é sinal de mau presságio. Por isso, cristãos de todo mundo têm se unificado em oração a favor do pastor iraniano.

O pastor iraniano Yousef Nadarkhani continua preso aguardando o julgamento final de sua sentença e fontes seguras relataram que ele está sofrendo maus tratos, torturas físicas e psicológicas dentro da prisão.

Os membros de sua igreja informaram que a saúde do pastor estaria se deteriorando. Mesmo tendo poucas informações sobre a situação em que Yousef se encontra, sabe-se que ele continua sendo torturado pelas autoridades do Irã que tentam forçar a volta dele para a religião islâmica.

Nadarkhani está preso desde 2009 com a acusação de ‘apostasia’. Depois de ser sentenciado à morte, o tribunal de Rasht encaminhou o caso para o aiatolá Aki Khamenei que ainda não se manifestou. No mês passado, ele teria recebido de líderes do governo livros que o incentivariam a desacreditar na Bíblia e voltar a ser muçulmano.

A sentença deverá sair na segunda quinzena de dezembro. A intenção do Irã é que a notícia não tenha tanta repercussão como aconteceu nos últimos meses. Por isso, o governo pretende pronunciar a decisão na época de Natal. Fontes relataram que quando há lentidão do tribunal em se pronunciar é sinal de mau presságio. Por isso, cristãos de todo mundo têm se unificado em oração a favor do pastor iraniano.
Fonte: Verdade Gospel

Nenhum comentário:

Postar um comentário